NOTÍCIAS DA EFPP

ASSINADO CONVENIO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA E CIENTÍFICA ENTRE O IFPPC E A FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO DA UNIVERSIDADE MACKENZIE

Aconteceu, no último dia 26 de outubro, durante o encerramento da 15ª Semana Viver Metrópole, promovida pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Mackenzie, a assinatura do primeiro convênio de cooperação técnica entre o IFPPC e uma Universidade.

O presidente do IFPPC Bonfilio Ferreira ladeado pelo Chanceler da Universidade Mackenzie - Rev. Dr. Davi Charles Gomes; pelo Reitor da Universidade Mackenzie: Prof. Dr. Ing. Benedito Guimarães Aguiar Neto e pela Diretora da FAU - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo do Mackenzie, Profª Dra. Angélica Benatti Alvim, durante a assinatura do Convênio
  
O Presidente do IFPPC e o Magnífico Reitor da Universidade Mackenzie:
Prof. Dr. Ing. Benedito Guimarães Aguiar Neto
Alunos da FAU apresentaram estudo preliminar sobre a Ferrovia Parque e sobre o futuro Parque Linear do Juqueri em painel da 15ª Semana Viver Metrópole da FAU/Mackenzie 
O IFPPC, há muito, já estimula e desenvolve parcerias pontuais com faculdades e ou docentes de diversas instituições de ensino superior, favorecendo a visita de alunos ao Eco-Museu e a realização de iniciação científica, que legou à EFPP várias pesquisas de interesse consolidadas em excelentes Trabalhos de Conclusão de Curso e dissertações de mestrado, muitos deles utilizados como referência de planejamento e desenvolvimento de projetos e ações de restauro, manutenção e revitalização do acervo da EFPP. Estas parcerias se dão de maneira informal e dinâmica, sem um vínculo jurídico ou compromisso de continuidade ou de desdobramentos futuros.

Já o Convênio firmado com a FAU - Mackenzie, inaugura um relacionamento dinâmico e com expectativas de desdobramentos na área de ensino, pesquisa aplicada continuada e extensão acadêmica, que poderá trazer benefícios recíprocos para o Programa de Restauro e Revitalização da EFPP e a Universidade, vez que tende a envolver além da área de arquitetura e urbanismo, também as engenharias e outras áreas de conhecimento como a biologia e o turismo, por exemplo.

O Restauro e a Revitalização da EFPP é uma tarefa de grande complexidade que vem sendo desenvolvida desde 2001, pois envolve praticamente todas as áreas do conhecimento técnico e científico, a começar pela arquitetura e urbanismo, passando por todas as engenharias, museologia,  biologia, hotelaria /turismo e até pela gastronomia,  dentre outras. Transformar uma antiga ferrovia mineradora em um centro de atividades voltadas para visitação pública, preservação do patrimônio histórico e ambiental, projetar e construir Receptivos, Estações ão Ferroviárias, Gares, Oficinas, sistemas de saneamento, e toda a infra-estrutura que favoreça a visitação turística, cultural, museológica, educacional e de lazer, é uma missão que não pode prescindir de parcerias com uma instituição de ensino e pesquisa qualificada como o Mackenzie, aptas a cooperar com o desenvolvimento de estudos, planos e projetos que agilizem a captação de recursos de interesse para a realização dos objetivos comuns das intituições.

Fica aqui registrada a nossa gratidão à Profª Dra. Angelica Alvim, Diretora da FAU/Mackenzie, e aos Professores Doutores Francisco Toledo Piza e Silvio Santanna (FAU e Engenharia do Mackenzie), e especialmente à Reitoria da Universidade Mackenzie, e a toda Diretoria do IFPPC, pelo apoio e dedicação para sucesso da celebração do Convênio. Agora é arregaçar as mangar e ao trabalho em 2019.  

Diretoria do IFPPC

    -----------------.----------------------.---------------------.--------------------.-------------------------.---------

PARCERIA IFPPC E MINERADORA PEDRIX

VIABILIZAM OBRAS DE RESTAURO DE VIA PERMANENTE E DE SISTEMA DE DRENAGEM NO TRECHO DA FUTURA ESTAÇÃO MINERAL E A ESTAÇÃO ECOLOGIA 


Obras de substituição de lastro, manutenção de sistemas de
drenagem e nivelamento de Via Permanente da EFPP, realizadas
desde jeneiro de 2017, em parceria com a Mineradora Pedrix 

Depois de restaurar a Passagem de Nível da EFPP com a Estrada de Servidão, a parceria entre a Mineradora Pedrix e o IFPPC se volta para ações de restauro da Via Permanente no trecho de cerca de 700 metros, onde a ferrovia é paralela à estrada e recebe a interferência das drenagens de águas superficiais que cruzam a EFPP, vindas dos pontos mais altos dos terrenos lindeiros em direção ao rio Juquery.

Já foram restaurados, ao todo, 5 linhas de drenagens, com reconstrução de caixas e desassoreamento de tubulações. Além da criação de um cronograma continuado de manutenção e monitoramento conjunto.

Na atual fase das obras, está sendo realizado o desassoramento e substituição do lastro ferroviário nos trechos afetados pelo caminhamento da drenagem, onde também deverá ser realizado o nivelamento e alinhamento da Via Permanente, após a substituição de dormentes.

Estão previstas também obras de contenção de encostas e de taludes visando a proteção da VP da EFPP,  que também contarão com o apoio da Mineradora Pedrix.  O estudo e o projeto foi realizado e doado pela empresa Macaferri, mas é aguardado o resultado de tratativas com o DAEE seja para obtenção de outorgas e licenças, como para planejamento conjunto de outras ações integradas de Macrodrenagem da Bacia do Juquery, a fim de se garantir que as obras realizadas na EFPP sejam efetivas e definitivas, pois o rio está sofrendo obras de retificação nos trecho de montante, o que pode afetar as medidas de conservação de trechos importantes da EFPP. 

Mais uma vez, registramos nossa gratidão aos Dirigentes e Colaboradores da Pedrix, pelo apoio ao Projeto de Restauro e Revitalização da EFPP. Registramos ainda a importante colaboração dos nossos Diretores de Engenharia e de Tecnologia, Altair Gonçalves Damascenos, Rodrigo Lopes Leste e Raquel Ferreira, que planejaram os trabalhos e supervisionam as obras em campo. A todos nossos agradecimentos.

A Diretoria / IFPPC 



INICIADA A RESTAURAÇÃO DA 

PASSAGEM EM NÍVEL - PN - KM 2,4 DA EFPP 

Operários contratados pela Mineradora Pedrix trabalham na recuperação da PN

Uma nova parceria traz novidades para o projeto de revitalização da EFPP. Após a conclusão dos trabalhos da Companhia Melhoramentos, que restaurou um trecho danificado entre o Km 2 ao Km 4, lindeiro a sua antiga propriedade, agora entrou em cena a parceira Mineradora Pedrix, também vizinha da EFPP, que desfruta de servidão rodoviária comum e coopera com a conservação da Estrada de Ferro, especialmente na manutenção da Passagem em Nível existente na altura do Km 4 da EFPP (local onde se pretende construir a futura Estação Mineral). 
As obras começaram no último dia 13 de novembro, p.p., e devem se desdobrar em várias outras frentes de ações de recuperação e conservação do sistema de drenagem comum existente, bem como medidas de obras civis nos trechos das vias rodo-ferroviárias, com remoção de assoreamento da plataforma ferroviária, manutenção  de obras pontuais na via permanente ferroviária, sinalização de segurança comum, dentre outras medidas de interesse para os empreendimentos.
Registramos, mais uma vez, nossa gratidão à Mineradora Pedrix (Marcos e Renato Henri - Diretores) e à Diretoria da Cia. Melhoramentos (Sergio Sesiki - Diretor).

AÇÕES DE RESTAURO DO ACERVO DA EFPP SÃO RETRATADAS EM REVISTA BRITÂNICA

 

Resultado da visita e do trabalho do professor e pesquisador Robert Howes, cidadão inglês engajado em conhecer histórias bem sucedidas (cases) de restauração e preservação da memória e do patrimônio ferroviários na Inglaterra e na América do Sul, realizada em setembro de 2017, foi publicado um excelente artigo elaborado pelo citado pesquisador, na Revista Locomotives International, que circula em todo o Reino Unido, retratando as ações de preservação e restauro do acervo da Perus Pirapora pelo Instituto de Ferrovias. Durante a visita o Prof. Robert se mostrou satisfeito com o avanço do trabalho e parabenizou a equipe do IFPPC pela resiliência frente as dificuldades que esta modalidade de Museu enfrenta na América Latina, salientando que na Inglaterra não é muito diferente, apesar de existir grande interesse na preservação e restauro de patrimônios históricos, visto que isto traz muitas divisas através do turismo, mas, reservadas as proporções, as dificuldades são similares e tudo só avança com muita persistência e força de vontade dos envolvidos. Uma das formas que Robert encontrou para ajudar é através da divulgação do trabalhos das entidades preservacionistas, a exemplo deste do artigo produzido e veiculado na revista Locomotive International nº 113, abril/Maio de 2018.Mais uma vez registramos nossa gratidão Prof. Robert  Howes pela colaboração na difusão dos trabalhos do IFPPC.Interessados no Arquivo em PDF com a matéria completa, favor solicitar pelo e-mail: ferreirabonfa@gmail.com. A Diretoria

PERUS PIRAPORA RECEBE VISITA ILUSTRE
DE PESQUISADOR BRITÂNICO

O Presidente do IFPPC Bonfilio Alves ao lado de Robert Howes (à direita)
Em outubro recebemos a visita de um importante amigo dos museus e dos sites de preservação ferroviária.

Trata-se do professor aposentado Robert Howes, um cidadão inglês, que está interessado em conhecer histórias bem sucedidas (cases) de restauração e preservação da memória e do patrimônio ferroviários na Inglaterra e na América do Sul.

Em setembro/2017, Robert contatou a Diretoria do IFPPC para convidar a todos para palestra que proferiria no dia 20 de outubro, próximo passado, no espaço do Centro de Controle Operacional da CPTM do Brás. Representou o IFPPC no concorrido evento o engenheiro Altair Damasceno, responsável pelo Depto. de Eng. Ferroviária e pelo Programa de Restauro da Plataforma Ferroviária da EFPP. A convite do Eng. Altair, Robert foi recebido em visita à EFPP, quando ficou muito satisfeito com os avanços no projeto de restauro, preservação e conservação do acervo.

Como resultado da sua visita, Robert está enviando informações sobre a EFPP a revistas e outras mídias especializadas em preservação ferroviária do mundo todo, a fim de criar intercâmbio técnico entre pesquisadores, profissionais, curadores de museus e ativistas do setor.

Robert parabenizou pelo trabalho e se encarregou de cooperar com a busca de parceiros e cooperadores no Reino Unido, onde há mais de uma centena de museus irmãos da EFPP.

Registramos nossa gratidão ao Robert Howes pela visita e pela colaboração na divulgação do nosso trabalho.
  

AÇÕES DE LIMPEZA E DESASSOREAMENTO DE VIA PERMANENTE COMEÇAM A REVITALIZAR A PRINCIPAL PASSAGEM EM NÍVEL DA EFPP 


VP do Km 2,4 da EFPP antes da PN com Servidão
Rodoviária da Mineradora Pedrix
Duas importantes parcerias firmadas pelo IFPPC neste primeiro semestre de 2017 para solução da manutenção das drenagem que interceptam a Plataforma Ferroviária da antiga EFPP estão em implementação.

Uma delas é com a Companhia Melhoramentos, que já iniciou a recuperação de dois importantes trechos afetados entre os Km 2.3 e 2.5 da EFPP, antes da PN (Passagem em Nível). 




A restauração e manutenção dos sistemas de drenagem
e o desassoreamento da Plataforma Ferroviária é uma ação 
permanente em prol da preservação da EFPP 

Com a conclusão destes serviços será possível retomar as obras do desvio ferroviário e a construção da futura Estação Mineral.


Plataforma Ferroviária da EFPP (Km 2,250), sentido
Rodovia dos Bandeirantes 
A outra parceria é com a Mineradora Pedrix, que, assim como a Melhoramentos, tem sua propriedade na vizinhança da EFPP e compartilha o uso de servidão minerária cuja drenagem tem seu caminhamento através da Plataforma Ferroviária da EFPP. 

A definição do cronograma de obras está a depender apenas da assinatura do Termo de Cooperação entre as partes. Esta parceria vai viabilizar a recuperação da infraestrutura de drenagem e de geotecnia (recuperação de arrimos e contenções) e, ainda, a restauração e sinalização da PN e a construção da futura Estação Mineral.



Aproveitamos para registrar a nossa gratidão pela cooperação e o apoio de nossos vizinhos Mineradora Pedrix (na pessoa dos Engs. Marcos e Renato Henri), e Cia. Melhoramentos (na pessoa do Sérgio Sesic e acionistas), empresa esta que também faz parte da história da arqueologia / tecnologia industrial do vapor, visto que a Melhoramentos manteve uma ferrovia industrial à vapor por mais de 60 anos em Caieiras, operando paralelamente à EFPP, detendo um valioso acervo documental que, em futuro próximo, poderá enriquecer exposições e mostras do Programa "+Q2Museus", de parceria e cooperação museológica.



NÚCLEO MUSEOLÓGICO KM 12 DA EFPP RECEBE LOCOMOTIVA Nº 5 - AMERICAN LOCOMOTIVE COMPANY - PARA RESTAURO E FUTURA OPERAÇÃO 

Locomotiva nº 5 - American Locomotive Company - 
Embarcando à caminho do restauro 

Com o apoio da empresa Metalplan, fabricante de compressores especiais, o IFPPC criou o 2º Núcleo Museológico do Projeto de Revitalização da EFPP, O Núcleo Km 12 está instalado em Polvilho, próximo da Rodovia Anhanguera e guarda a reserva técnica de gondolas de minério e peças de ferramentaria do antigo Pátio Minerário e Oficinas de Cajamar. 
Gôndola de Minério  da EFPP, adquirida do fabricante
Kopel, dos EUA

Em 2016 a Metalplan iniciou a recuperação das Gondolas, paras exposição e agora está recebendo para recuperação a Locomotiva nº 5, fabricada em 1932, na planta da American Locomotive Company, instalada em Montreal/Canadá, uma das 5 peças idênticas adquiridas da ALCO pela Estrada de Ferro Perus Pirapora.

Loco 5 em operação nos anos 70 - Km 12 - Atual bairro de Polvilho/Cajamar-SP

Loco 5 em 2016, no Pátio do Corredor - atual Estação Ecologia
A Loco 5 estava na fila de restauro no Núcleo Museológico do antigo Pátio do Corredor, atual Estação Ecologia, desde 2012, vinda das antigas Oficinas da Perus Pirapora em Cajamar. É considerada viável para recuperação e utilização na frota de material rodante trafegável no transporte de visitantes aos Núcleos Museológicos da Ferrovia-Parque Perus Pirapora.

Ficha Técnica:

  • Locomotiva nº 5 da EFPP - Alco - Montreal
  • Ano de fabricação 1932
  • Fabricante: American Locomotive Company, unidade fabril de Montreal/Canadá, também conhecida como "Montreal Locomotive Works Ltd".
  • Número de Série:  68633
  • Rodagem: 2-4-2 ST
  • Período de operação na EFPP:  1932-1983


CHEGADA E INCORPORAÇÃO AO NÚCLEO DO KM 12 
(METALPLAN) EM 12 DE ABRIL DE 2017

Loco 5 - Chegada à Metalpan - Km 12 da EFPP - Polvilho / Cajamar-SP

Loco 5 - de volta aos trilhos no Km 12 - Núcleo Museológico da EFPP

Loco 5  e as Gondolas da reserva técnica do acervo, recuperadas pela Metalplan
A coordenação geral dos trabalhos foi do Diretor Nelson Camargo e a Supervisão e acompanhamento técnico é do Engenheiro Mecânico Péricles Gallo, que já trabalhou na manutenção das Locomotivas nºs 2, 8 e 10, esta última foi restaurada no ano passado (2016). O apoio administrativo e jurídico é do Presidente, Dr. Bonfilio Alves, que vem mediando e conquistando o apoio de importantes empresas, personalidades de diversos setores de Cajamar, São Paulo e Caieiras, além de cativar amigos preservacionistas do exterior para apoiar a causa da Perus Pirapora, ativando o desenvolvimento de várias frentes de apoio ao Programa de Revitalização, dentre eles o Projeto "A Volta do Trem das Onze", de restauro e recuperação da Locomotiva 17.

Parabéns aos nossos diretores Nelson Camargo e equipe de voluntários, amigos da empresa Metalplan, a quem agradecemos na pessoa do Diretor Edgard Dutra, e demais apoiadores. Gratidão pela ajuda de todos.

Sua ajuda é fundamental para a defesa deste acervo museológico que conta uma parte muito importante da história de luta do povo brasileiro.  Seja um parceiro do projeto, ligue-nos: 11.4442.2012 (falar com Bonfilio ou Fabiana -  Whatsapp e cel.: 9.7355.3985 -Vivo- ou 9.4861.0386 -Tim- c/Fabiana Santos, no horário comercial). 



9 comentários:

  1. Tenho dois filhos um de 12 e outro de 5 anos, eles ficam perguntando quando eu vou levar eles lá, eu não sei o que falar porque eu já fui 3 vezes a pés Pelas trilhas, é quase 1 hora. O ideal é ampliar a linha até a fabrica de cimento que fica do lado da Estação, é só fazer manutenção na linha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adelmo, o trecho até a antiga fábrica de cimento não foi comodatado ao IFPPC. Isto quer dizer que não podemos interferir na linha ali, e nem podemos circular com nenhum veículo ferroviário naquele setor. Criamos a nova página "Como chegar", no menu acima, que dá informações sobre o acesso. Planejamos instaurar um meio de transporte fácil entre a ferrovia eum ponto de fácil acesso, mas isto ainda pode demorar um pouco, pois não depende somente da nossa vontade!

      Excluir
  2. Prezados:
    Enquanto locomotivas e vagões ficam apodrecendo abandonados, a burocracia brasileira atrapalha e até impede que pessoas e organizações sérias ajam e salvem um pouco da história ferroviária. Parabéns a IFPPC pela luta e pelo amor não só pelo aspecto físico e material, mas pela memória que permeia este importante meio de transporte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Alberto, de fato cabe a nós, cidadãos comuns, nos mexermos e fazermos algo se quisermos que algo do nosso patrimônio ferroviário seja preservado. Muito mais que veículos potencialmente úteis se bem usados, as centenas de locomotivas e vagões abandonados são também um pouco, ou muito, da memória de todos nós. Na Perus-Pirapora tentamos fazer isto: preservar patrimônio cultural e natureza. Venha nos visitar, será um prazer.

      Excluir
  3. Gostaria de saber se há estacionamento para quem vai de carro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, temos um amplo estacionamento junto à estação Mineral, onde começa o passeio, ao dispor dos nossos visitantes.

      Excluir
  4. Amigos,

    Criei a petição e espero que possam assiná-la. Ela se chama: Evitar que os ramais ferroviários que serão estão sendo devolvidos pela FCA ao governo, sejam erradicados..

    Eu realmente me preocupo sobre este assunto e juntos nós podemos fazer algo a respeito disso! Cada pessoa que assina nos ajuda a chegarmos mais próximo do nosso objetivo -- será que você pode nos ajudar assinando a petição?

    Clique aqui para ler mais a respeito e assine:
    http://www.avaaz.org/po/petition/Evitar_que_os_ramais_ferroviarios_que_serao_estao_sendo_devolvidos_pela_FCA_ao_governo_sejam_erradicados/?launch

    Campanhas como esta sempre começam pequenas, mas elas crescem quando pessoas como nós se envolvem -- por favor reserve um segundo agora mesmo para nos ajudar assinando e passando esta petição adiante.

    Muito obrigado,

    ResponderExcluir
  5. Estimada Gente:

    Soy el último especialista en Ferroturismo que queda en Argentina.
    He trabajado con el Tren Histórico de Buenos Aires, y actualmente traajo con La Trochita y el Tren Patagónico.
    Si hay algo en que pudiere ayudar, dando asesoramiento y capacitación técnica, consulten nomás.
    Recientemente he diseñado dos protocolos de clasificación y categorización de trenes turísticos, denominados TT-RA-1 y TT-RA-2, los cuales están en manos del Ministerio de Turismo de la Provincia de Río Negro.
    Héctor Cassano
    Hotel Manager
    A.A.B. in Hotel & Restaurant Management Technology
    Especializado en Ferroturismo desde 1989
    la.trochita@yahoo.com.ar

    ResponderExcluir
  6. Cadê o trecho entre a estrada da pedreira e a estação de perus? Porque existem acervos ferroviários apodrecendo na Antiga fábrica de cimento ? Onde foram aplicados recursos da dersa ,natura e melhoramentos que a época eram suficientes para o restauro de todo o trecho da ferrovia?

    ResponderExcluir

Olá, deixe seu comentário sobre nosso blog.